Sobre o artesão Bruno Hempel Abril 26, 2017 – Postado em: Artesão

Quem é Bruno Hempel ?

Sou bem tranquilo e busco sempre ter uma vida simples e saudável. Gosto muito de estar perto na natureza, praticar esportes com frequência, mas minha preferência sempre foi e sempre será o surf.

Tenho 35 anos dos quais aproximadamente 10 vividos na joalheria.

Nascido e criado em São Paulo, apesar de nunca conseguir me adaptar direito com a rotina da cidade grande.

Apesar de ser formado em turismo, minha maior ambição é crescer profissionalmente através do meu talento, ser reconhecido por tudo e principalmente poder continuar viajando pelas melhores praias de surf do mundo.

 

Como começou sua carreira de joalheiro ?

Início da carreira, 2004.

Venho de uma família de artistas; meus pais sempre me influenciaram e motivaram em relação a arte e o desenho.

Desisti do curso de Arquitetura aos 19 anos, pois só me interessava pelas aulas de desenho livre e de maquetes. Cursei também dois anos de Desenho Industrial onde me encontrei um pouco mais no meio artístico.

Desde então comecei a trabalhar com venda de jóias em uma loja/oficina familiar que minha mãe na época havia aberto no bairro da Vila Madalena. E foi lá onde tudo começou!

De uma tentativa a outra, me arriscando de vez em quando na bancada e aprendendo aos poucos com a convivência, passei a vender alguns de meus trabalhos na própria loja.

Percebi um certo dom que eu tenho que era de fazer e desenhar jóias, peguei gosto pela coisa e me motivava mais a cada dia aprendendo  e iniciando a minha carreira profissional.

Tive a grande oportunidade de poder trabalhar, compartilhar e conviver momentos com excelentes joalheiros, onde aprendi as mais variadas técnicas da ourivesaria, cravação, gemologia, forja, fundição em cera, prototipagem e etc.

Hoje com muito orgulho, consigo dizer que me encontrei na joalheria e pretendo continuar aprendendo e aprimorando minhas técnicas pro resto da minha vida.

 

Quais foram as partes mais difíceis no começo da sua carreira ?

Como as dificuldades de todo profissional aprendiz, não foi muito diferente pra mim.

No início, era muito difícil pra mim admitir uma profissão que geralmente poucas pessoas conhecem ou simplesmente não valorizam, então eu exercia a função sempre pensando em fazer uma faculdade no futuro, pensando que aquilo não seria o meu objetivo principal.

Mesmo me saindo bem com as jóias, (me refiro a elogios e também vendas de meus trabalhos), iniciei cursos universitários. Então concluo que a minha maior dificuldade foi a minha própria aceitação em relação a minha profissão. Quando aceitei, as coisas caminharam de uma forma muito mais clara e objetiva pra mim.

 

O que inspira o seu trabalho ?

Inspiração vem de tudo, primeiramente do bem estar, do se sentir bem e do ser feliz.

Quando abrimos a nossa mente para tudo é que nos damos conta de que tudo pode ser inspirador. Claro que existem dias ruins e dias melhores, isso é totalmente normal.

Não é muito meu costume, mas vejo sim alguns trabalhos de artistas do Brasil a fora, talentosos, e que as vezes me ajudam a desenvolver ideias para as minhas próximas criações.